11 de junho de 2013

Da greve dos professores

 Muito haveria a dizer.
Neste momento congratulo-me por o colégio arbitral ter chumbado o pedido de decretar serviços mínimos para a próxima segunda-feira, data de realização do exame de Português.
Sei bem que ainda falta jogar a última cartada, a requisição civil, que a lei diz que não contempla a educação, mas que mesmo assim o governo vai tentar fazer das suas.
Sei que muitos não concordarão comigo, que acham que os professores não têm direito a fazer esta greve, que quem paga são os alunos e etc...

Mas afinal para quem trabalham os professores todos os dias? Não é para dar o melhor aos alunos?
Acham mesmo que um professor que passou o ano inteiro a preparar os seus alunos para este exame está contente com este desfecho? Se acham isso esqueçam...
Esta opção só está a ser tomada porque não estão a restar mais opções ao professores. Porque lhes estão a tirar o que eles conquistaram ao longo da carreira.
Os alunos vão ficar bem!
O exame vai ser feito noutro dia (assim espero que seja, porque mostraria que a adesão seria enorme).
Vão ter tão boas notas, ou ainda melhores, como se tudo tivesse corrido na normalidade esperada.
Porque ao longo da vida estas coisas também vão acontecer e ninguém vai morrer por isso..

Partilho a opinião de uma mãe de uma aluna do 12ºano. 

Eu fiz o meu exame nacional de Português depois de viver os piores dias da minha vida, e tive 18 valores. Eu, a menina das contas, da engenharia. Tive 18 valores no exame que fiz dias depois de enterrar a pessoa mais importante da minha vida. Estava em condições de fazer o exame? Claro que não... 
Mas não havia outra hipótese! Tinha de o fazer e pronto!

8 comentários:

  1. Assino por baixo! :)
    A greve é sempre o último recurso.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na educação greves assim nunca se viram e isso quer dizer alguma coisa...

      Eliminar
  2. É uma situação complicada e só quem está na pele é que saberá julgar devidamente... :s. Vamos esperar que o governo saiba recuar...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa era a esperança mas eles já disseram que não recuam...

      Eliminar
  3. é mesmo difícil. estou sempre a dizer que vocês lutam e lutam a sério pelos vossos direitos, quem me dera que os Enfermeiros fossem assim! mas a minha cunhada está agora no 12º e é uma situação mt complicd pra eles tb*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim é uma situação muito difícil, para ambos os lados. Mas que já não dá para negar que é o limite...

      Eliminar
  4. Os professores fazem greve não só por eles, mas também pelos alunos...pelo ensino público em Portugal! O governo por acaso quer saber dos alunos quando aumenta as turmas? Ou quando cria mega-agrupamentos? A escola não é nenhuma fábrica!! Os discursos dos nossos governantes até fazem rir, roçam mesmo o fascismo!! Claro que numa greve de professores os principais prejudicados são os alunos...dah!! Assim como numa greve de transportes os principais lesados são os utentes que os utilizam, ou numa greve da saúde, são os doentes...

    Claro que entendo o lado dos estudantes e dos pais...deve ser um desespero, mas tenho a certeza que tudo se vai resolver da melhor forma!

    http://thatsthe-way.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. Concordo contigo!

    E sim, tenho de admitir, que foste muito corajosa… Se fosse eu, nunca iria fazer o exame nessas condições!

    Um beijinho***

    ResponderEliminar